segunda-feira, março 28, 2005

Belas, sombras...

Aquela ótica vertebrada
longe mediocridade
longe... satisfação inapta.
Saudades, saudades,
complexas saudações.
Vida
vida...
viver!
Viver?
Carência,
obsolescência,
violência,
sal...
doce...
o nada conveniente,
a dose comprada
com o troco do pão.
O silêncio tâo surdo,
aquela bela sombra
dos agudos toques
dos agudos choques
são tão fortes.
são tão graves os cortes
dos timbres agudos.

Poesia que põe mesa
que mata a fome
de quem come
e mata um homem se não come.

Aquela ótica vertebrada
mediocridade longe
satisfação complexa
Saudação inapta
Vida
Vida...
Poesia que mata!

Lee Flôres Pires 24/03/2005

Nenhum comentário: