domingo, outubro 23, 2005

Cores mortas

Atalhos...

Sabores leves
Versos e prosa
Retalhos...
Adeus!

A(mor)es tor(tos)
Cores
Licores
atores...

Outros ares,
Leveza
do
meu
Coração.

Se eu fosse pluma
teria um norte
Acaso...
Bem
e mal.

mas amar as causas perdidas
é amar minha contramão.
É seguir minha direção torta,
minha rota de colisão.

Amores
Cores
Versos
Adeus...
Atalhos
Retalhos
Prosa
Adeus...
Pluma
Leveza
Licores
Adeus!!


Lee Flôres Pires - 20-07-04

segunda-feira, outubro 03, 2005

A Poesia Passou...

Meu Deus! A poesia passou na minha frente
ninguém olhou, ninguém sentiu meu Deus!
Eu aqui no meu sofá estanque
esperando a poesia passar.
A poesia passou...
passou despercebida
por entre os dedos do guitarrista,
pela doses homeopáticas
do eter na menina eufórica,
feliz de graça.
A poesia passou...
passou e sumiu
na vertigem ébria
das festividades.
Ninguém olhou, ninguém sentiu meu Deus!
De onde veio?
Pra onde foi?
Como poder quantificar sua passagem?
Não sei!
Quem sabe?
Apenas sinto estático,
o sangue pulsar nas veias.
Esperando a poesia passar de novo
Sentido vontade de gritar
e de anunciar a poesia!
Que está por vir.

Lee Flôres Pires