segunda-feira, novembro 07, 2005

Medo, virtude ou amor?

Seus contornos não me enganam,
já passou o dia da morte do meu Deus.
Quase nunca ouço você falar,
e isso não é ismo de eus...

Ego
Ismo
Ex
Centrico.

Abismado toque,
olhar menos norte
e falta da sua voz.
É a falta da falta da falta da falta...

medo, virtude ou amor?
Meu amor: absinto tecnocrata.
Longe do meu toque menos norte.
Meu medo bizarro,
minha vontade de chorar.
Minha virtude burocrática de amar.

Menos eu,
menos você
vácuo de paixões
menos plástico.

menos eu
menos amor.


Lee Flôres Pires

Nenhum comentário: