sábado, março 11, 2006

Novos Horizontes

Corpos em movimento,
universo em expansão.
O apartamento,
que era tão pequeno,
não acaba mais.

Vamos dar um tempo,
não sei quem deu a sugestão.
E aquele sentimento,
que era passageiro,
não acaba mais.

Quero explodir as grades e voar.
Eu não tenho pra onde ir,
mas não quero ficar.

Novos horizontes,
senão for isso o que será?
Quem constrói a ponte,
não conhece o lado de lá.

Quero explodir as grades e voar.
Eu não tenho pra onde ir,
mas não quero ficar.
Suspender a queda livre... libertar!
O que não tem fim,
sempre acaba assim.

(Humberto Gessinger)