segunda-feira, dezembro 11, 2006

Mu(n)do

Nenhum choro
nem sequer um mísero choro
eu hei de ter.

A dor é tão forte
que não há mais dor.

O menino do sinal
não o vejo.
Os olhos fecharam
as lágrimas secaram.

A fome na esquina
não a sinto.
O estomago calou
o sangue talhou.

Só me resta a indiferença
a boca muda
o minuto de silêncio.


Lee Flôres Pires 11-12-2006

Nenhum comentário: