terça-feira, janeiro 30, 2007

Do Amor


Poema sem palavra,
música sem som...

quarta-feira, janeiro 03, 2007

PseudoPoema


Desculpe-me
pelo sangue em minhas veias,
pela vida tão clichê,
por meu olhar tão demodê.

Desculpe-me
se por último foi cena
pseudo-poema,
da nossa divina tragédia.
Desculpe-me
se meu amor te sufoca
pseudo-porta,
que convido a atravessar.

Desculpe-me por nada,
por tudo que sou,
pelos versos que amou,
por não suportar o carinho e chorar.


Lee Flôres Pires