segunda-feira, março 19, 2007

Off Line



É fácil ficar no meio
entre o dito e o não dito
entre o feito e o não feito.

É muito fácil não se prender
não ser ética
não ser eter
surfar entre as escolhas.

É muito fácil não carregar o peso do mundo,
ser leviano é tão leve.
É tão leve se desligar,
aparecer off-line.

Pra mim a poesia da vida é tão cara.

Eu não quero dormir tranquilo.
Quero o peso do mundo todo em minhas costas.


Lee Flôres Pires

domingo, março 18, 2007

Declare Amor


Declare amor
e esqueça que o mundo está em guerra.
Sinta apenas o seu peito,
o seu ego que devora.

Declare amor
e declare guerra
com o que está além do ego
sobreposto ao peito que apavora.

Declare amor
sem medida
sem escola.
Declare amor
por vício
por opção.

Declare...

sem lógica
sem exatidão
pois o que pro coração era poema
virou repetição.

Amor
Amor
Amor
pura repetição.


Lee Flôres Pires


sexta-feira, março 16, 2007

O Poema não ama

O Poema não ama ninguém,
nem tão pouco fala de amor.
O Poema apenas flerta com as sílabas,
presa uma as outras
por pura falta de opção.

O Poema não ama ninguém,
nem tão pouco quer amar.
O Poema apenas trepa com as vogais
e arrota consoantes
por puro excesso de tesão.

O Poema não ama ninguém,
nem tão pouco sabe amar.
O poema apenas e(é) só
por puro excesso de liberdade,
por pura falta de vergonha.


Lee Flôres Pires