sexta-feira, março 16, 2007

O Poema não ama

O Poema não ama ninguém,
nem tão pouco fala de amor.
O Poema apenas flerta com as sílabas,
presa uma as outras
por pura falta de opção.

O Poema não ama ninguém,
nem tão pouco quer amar.
O Poema apenas trepa com as vogais
e arrota consoantes
por puro excesso de tesão.

O Poema não ama ninguém,
nem tão pouco sabe amar.
O poema apenas e(é) só
por puro excesso de liberdade,
por pura falta de vergonha.


Lee Flôres Pires



Nenhum comentário: