sexta-feira, abril 25, 2008

Nestas telas



O que fazer quando o poema nao sai?
Quando fica preso na garganta
ou a tinta endurecida da caneta não quer escrever?

O que fazer para dar vida ao poema que o peito petrificou?

Estou hoje divido entre as letras impedidas
e os lamentos engasgados
nestas telas de pinturas incolores.

E a folha que pedia poesia agora não escolhe telas
nem tintas furta-cor...


Apenas espera dor
e eu por enquanto espero...
e desepero com o poema que não pode atrasar.


Esse poema!!
Que é mais vida que a vida...


Lee Flôres Pires

Nenhum comentário: