domingo, maio 11, 2008

Flor e Espinho



Caía sobre meu corpo,
gota a gota,
o som dos teus espinhos.
A ausência da tua voz,
dentro de mim,
quebrava o teu encanto.

... mas a Rosa era tão linda!

Saía do meu corpo
a chuva, a morte tua.
Pedindo licença,
para sempre entrar.

... mas a Rosa era tão linda!

Escorria da minha boca
o sangue, a tua necrose.

... mas a Rosa era tão linda!

Tão linda, tão funesta
rosa em teu túmulo.


Lee Flôres Pires

Nenhum comentário: