segunda-feira, setembro 29, 2008

Ritmo

Não sou quem
está aquém de mim.

O ritmo quebra o coração.

Todo mundo sabe
sou amante do silêncio
nos dias de festa.
Sou balbucia de carnaval
na quarta-feira de cinza.

Não sou aquém
de quem não está em mim.

A desritmia é o coração.

Não!! Meu coração não cabe todo mundo.
É sala reservada,
é taberna,
é porão.

É reticências em noite de solidão.

Eu sou calabouço...
tiro sentimento do bolso
calado e restrito
foco na fada o rosto
de morena única.

O ritmo é abrigo...
é capsula protetora...
de teu samba no pé,
tua dança safada.

falo fada...
eu sou o teu ritmo.


Lee Flôres Pires






terça-feira, setembro 23, 2008

Tententender


Se eu disser que vi rastejar
a sombra do avião
feito cobra no chão
tent'entender minha alegria:
a sombra mostrou o que a luz
escondia.

Se eu quiser ser mais direto
vou me perder
melhor deixar quieto
tent’entender, tent’enxergar
o meu olhar pela janela do
avião.

?que amor era esse que não saiu
do chão?
não saiu do lugar só fez
rastejar o coração.

Se eu disser
que tive na mão a bola do jogo
não acredite
tent’entender minha ironia
se eu disser que já sabia.

O jogo acabou de repente
o céu desabou sobre a gente
tent'entender: quero abrigo
e não consigo ser mais direto.

?que amor era esse que não saiu
do chão?
não saiu do lugar só fez
rastejar o coração.

(Humberto Gessinger / Duca Leindecker)

terça-feira, setembro 09, 2008

Meu mundo (é)terno


a Estrela Matutina


Meu bem...
não me fale de vertigem.
Não me fale de vidas amargas.
Porque quando estou ao teu lado,
só quero jardim...
só quero jasmim...

Não me fale do medo
de ter medo
de olhar pra mim.
Andemos e juntemos nossas mãos,
Porque quando estou ao teu lado,
só quero jardim...
só quero jasmim...

Não pergunte que horas são,
aonde estamos,
aonde é que vai dar...
se o trem já passou,
não importa a rota,
pois já não há derrota,
já não há inverno.

Por isso, meu bem...
olhemos a eterna primavera
quando cruzarmos o olhar,
e esqueçamos o relógio da vida...

... porque quando estou ao teu lado,
o tempo não acaba mais.


Lee Flôres Pires