segunda-feira, setembro 29, 2008

Ritmo

Não sou quem
está aquém de mim.

O ritmo quebra o coração.

Todo mundo sabe
sou amante do silêncio
nos dias de festa.
Sou balbucia de carnaval
na quarta-feira de cinza.

Não sou aquém
de quem não está em mim.

A desritmia é o coração.

Não!! Meu coração não cabe todo mundo.
É sala reservada,
é taberna,
é porão.

É reticências em noite de solidão.

Eu sou calabouço...
tiro sentimento do bolso
calado e restrito
foco na fada o rosto
de morena única.

O ritmo é abrigo...
é capsula protetora...
de teu samba no pé,
tua dança safada.

falo fada...
eu sou o teu ritmo.


Lee Flôres Pires






Nenhum comentário: