quinta-feira, dezembro 24, 2009

Seguir viagem

seguir viagem, tirar os pés do chão
viver à margem, correr na contramão
a tua imagem e perfeição
segue comigo e me dá direção

se dizem que é impossível
eu digo: ! é necessário !
se dizem que estou louco
(fazendo tudo ao contrário)
eu digo que é preciso
eu preciso... é necessário

seguir viagem, tirar os pés da terra firme
e seguir... viagem

seguir viagem, tirar os pés do chão
outros ares...sete mares...voar... mergulhar
o que nos dá coragem
não é o mar nem o abismo
é a margem, o limite e sua negação

se dizem que é impossível
eu digo: !é necessário!
se dizem que é loucura
(eu provo o contrário)
e digo que é preciso
eu preciso...é necessário

seguir viagem, tirar os pés da terra firme
e seguir... viagem

(Humberto Gessinger)

terça-feira, dezembro 15, 2009

Um sonho impossível

Sonhar
Mais um sonho impossível
Lutar
Quando é fácil ceder
Vencer o inimigo invencível
Negar quando a regra é vender
Sofrer a tortura implacável
Romper a incabível prisão
Voar num limite improvável
Tocar o inacessível chão

É minha lei, é minha questão
Virar esse mundo
Cravar esse chão
Não me importa saber
Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz

E amanhã, se esse chão que eu beijei
For meu leito e perdão
Vou saber que valeu delirar
E morrer de paixão
E assim, seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar do impossível chão


(Chico Buarque)

domingo, dezembro 13, 2009

Instante

Quem pensa que a vida
não é curta?
Que os instantes não esbarram
em nossos corpos e nos paralizam?
A gente perde a hora
perde o prumo
esquece a razão.

E quem pensa que não temos razão?
A caminho de Rio Vermelho
no horizonte:
uma linha que divide a morte -
esquina tão tênue... sorte?

E quem pensa que a vida
não é esquina?
Um breve olhar eterno
o rubro batom no meu terno
da noite que passou.
Perdida na canção de quem amou
peito pedra parado que hesitou
nas ondas que o rádio levou.


Lee Flôres Pires

quarta-feira, dezembro 09, 2009

Os Materiais

(1974)


Eu quis a palavra reta
feito faca.

Eu fiz do verso o corte branco
do metal.

O lento sal dos anos
não lhe roube o fio.

O inimigo não possa
empunhá-lo durante a luta.

Se o carrasco, algum dia,
levar aos lábios meu poema,

o vidro claro do verso
lhe corte a boca.

E a palavra não se renda
à tortura.

E quando eu disser: pedra,
não se entenda pão.

Quando eu disser: noite,
se encontre nela todo poder de treva.

Quando eu disser: eis o inimigo,
mate-o antes do amanhacer.


(Piedro Terra)

terça-feira, dezembro 01, 2009

Poema sobre Jardim

Tem flores
tem amores
e beijo de jasmim.
E quem deita
sobre o orvalho,
não esquece os girassóis.

Estes girassóis
esta estrela matutina
que resplandece sobre mim.

Pra não morrer o jardim.
Pra ser feliz no meu jardim.
Você vem de asas coloridas
e sobrevoa em mim.

E eu espero,
desespero
faço cena,
James Jean.

Faça chuva,
faça cama,
não tem beija flor que roube
o nécta que guardo eternamente em mim.
Peito aberto para seus botões de amor.
Como desabrocha tua flor,
e invade e chega ao meu fim.


Lee Flôres Pires