quinta-feira, março 25, 2010

Ela

Ela.
Parou.
Falou.
Com a boca dela
Arrotando versão.
Delírios
E cabelos belos.

Tão desumano amar
Daquele jeito
Com o aberto peito
Sem sentir o mar.

Só tristeza.
Ao sabor do bar
Vento, vela,
Violinos,
Imaginação.

E cabe amor na boca dela?
Sonhos amarelos?

Não.
Só guitarras
Sem refrão que diz:

- Ame ou deixe
Meu coração.


Lee Flôres Pires

Nenhum comentário: