segunda-feira, abril 05, 2010

Tempo de clarim

a Laís Romero

Nem o sumiço das horas
pelo resto do dia
me fez esquecer
o tempo -
o silêncio
das flores
no jardim.

Nem a neblina nos olhos
das moças,
prostitutas febris,
me fez desistir
das horas -
quarto, cama
pele...
clarim.

Nada pode me matar
vestido de blusa
amarela,
coberto de sorrisos.
manhã de rima
e artifícios.


Lee Flôres Pires

Nenhum comentário: