segunda-feira, maio 02, 2011

Mar de mágoas

Sopro,
afoito,
a brisa
impaciente.

A tua face,
calma,
rompe
meus tímpanos:

Com o frio
de sua presença.

O vento,
pós boca
segue,
úmido.
Esperando
terra firme.

Estabanado sul
preso
no ar que se respira.

Transpira
mar,
o vento leste,
péle por péle
que sigo
a voar.

Calmo,
seco,
tropical
pedaço
de mágoas.

Espalho
no seu punho
fértil
o direito
de existir.
O fruto
que brotastes
em mim.



Lee Flôres Pires - 12/08/2010

Nenhum comentário: