terça-feira, maio 01, 2012

Primaveras

Não há sonhos
a tristeza corriqueira dos apartamentos
cancela nosso toque.
Esfria nossas bocas
e dentes remotos do amanhacer.

Rapta a alegria vestigiosa
de não ser imorte.
Cala
o mais belo jeito
de resplandecer.

Não há primaveras
os dias inertes moem os aromas
trituram as pétalas
das flores que murcham
sem você.


Lee Flôres Pires

3 comentários:

Pinky disse...

Triste, porém lindo!!!

Yara disse...

aromas, pétalas, versos:
traços vestigiosos
de Flôres...

Belo.

Clarissa disse...

inspirado
=]