quinta-feira, agosto 29, 2013

Concha

À Amélia Pais

Para o fio do caminho,
a meada contornada
no limiar do dia,
atrás da luz que se esvai
em seus sonhos alados,
seus olhos calados,
guardados no teu peito
fundo, dentro do mar.

Lee Flôres Pires

7 comentários:

Graça Sampaio disse...

Que lindo! venho aqui encontrar um poema à minha querida e saudosa amiga Amélia Pais! De onde a conhece?

Obrigada e beijinhos.

Graça

Lee disse...

Bem eu só conheço sua poesia, pela internet, não a conheço pessoalmente.

Anônimo disse...

eu esperava pela fome dos sentimentos
quando tudo virava um bordão nacionalista
não que eu não tenha, amor à pátria
da confusão e do inferno, privilegiada vista

pois sinto saudades de quando éramos
apenas poetas rebeldes do modo de vida
recheado de apatia e do tédio tão denso
era então o momento da fuga esperada

ó, sexta-feira, traga um pouco de vinho e também de amor
que os dias do corações chegou
e a loucura ainda é pequena para o que precisamos

e nestes dias de novembro estranhamente nós vamos
adiante sem saber qual o fim da história
talvez aventuras vindouras, talvez apenas memória...

28/11/2013, Samuel Neves de Melo
para Lee Flores Pires.

Anônimo disse...

*dos corações...

Anônimo disse...

*o dia dos corações...

nelma ladeira disse...

Lindíssimo poemas,adorei seu blog parabéns.
Boa noite.

Karine Tavares disse...

Oi!Gostaria de convidá-lo a conhecer meu novo endereço:

www.feitaparailetrados.blogspot.com

Ainda estou arrumando a casa, mas já pode se abrigar por lá!
Obrigada pelo carinho enquanto estivemos juntos no leiakarine.blogspot.com
Tô te esperando....