quinta-feira, setembro 17, 2015

Aragem

Isto de tua unha não arar minha carne,
fazer de minha derme grilagem,
incendeia a revolta, o forcado,
a greve do meu colibri.

Lee Flôres Pires

Nenhum comentário: